Cronistas
    915

A velha Questão Tostines

15/02 de 2012 às 21:34

Essa todo mundo conhece, não é? Tostines vende mais por que é fresquinho, ou é fresquinho por que vende mais?


 


Hoje, enquanto olhava pela janela do carro, voltando de uma reunião quilométrica, fiquei a pensar na Questão Tostines.


 


Será que eu trabalho para viver ou vivo para trabalhar?


 


Passo a maior parte do meu dia trabalhando e quando saio do trabalho estou um caco. Pego trânsito e demoro para chegar em casa. Em casa só dá tempo de comer alguma coisa, ver alguma notícia na televisão e cair na cama.


 


Acho que eu vivo para trabalhar.


 


Mas se não for assim, não tenho meios bastantes de subsistência, como gostam de dizer o pessoal do direito. Eu digo por uma questão de direito.


 


Como vou levantar um cascalho para as prestações do carro, para o vestuário, para a alimentação, para a conta do celular (pré-pago, claro), para meus livros, os impostos e uma eventual cachaçada dançante? Hora ou outra tenho que me divertir, não é mesmo?


 


Pensando desta maneira, até que trabalho para viver.


 


Nos finais de semana, penso em telefonar para meus colegas e amigos da empresa para marcar um churrasco ou algo assim. Por um lado é bom, significa que possuo um ótimo relacionamento interpessoal, como gosta de dizer o pessoal do RH, mas por outro, significa que meu círculo social está se restringindo ao ambiente de trabalho.


 


E quando esses churrascos ou algos assim acontecem, qual o assunto? Projetos, diretrizes, estratégias...


 


Tenho a impressão de que estou vivendo para trabalhar.


 


Ao mesmo tempo que me é pessoalmente compensador quando sinto que aprendi algo novo, mudei minha maneira de pensar, amadureci em alguma questão, resolvi um pepino sem prejudicar nada ou a ninguém e saio do trabalho com a sensação de missão comprida. Isso dá forças para encarar a vida de uma maneira mais positiva.


 


Encarar a vida de uma maneira mais positiva foi uma frase muito boa. Me faz pensar que assim trabalho para viver.


 


A próxima vez que eu estiver voltando de uma reunião, vou tentar pensar naquela do ovo e da galinha.

Comentários:

    Jaqueline Sant\'ana falou em: 02 DE NOVEMBRO DE 2013 as 13:38
Excelente texto! Tive uma empatia total com o que você escreveu. Ah, os dilemas das nossas vidas...

Deixe seu comentário!

    Nome (obrigatório)
    E-mail (não será publicado) (obrigatório)
    Mensagem:

contato@cronistas.com.br

© 2011 cronistas.com.br - Todos os Direitos Reservados - É proibida a reprodução do conteúdo deste site sem prévia autorização

Desenvolvido por Dk3 Internet.